.posts recentes

. A quem me tem acompanhado...

. A “Praça da Canção”

. “Cântico azul-marinho e v...

. Espiral mental

. Dos rios e dos homens

. Haja coragem!

. Ainda falta muito para ac...

. Má sorte

. Vincent da Rocha Dioh - 1...

. Canção de Amigo para “ami...

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

Quinta-feira, 16 de Setembro de 2004
A casa
Quiet Harmony_Wassily Kandisky.jpg</p>


Casulo imaterial
tecido com memórias, afectos, vivências...
Centro gravitacional,
em que tudo gira, sem rota predefinida e sem perigo de colisão,
porque todos os elementos se conhecem e complementam.
Cada côncavo tem seu convexo,
cada aresta, seu buril,
cada recanto, seu centro,
cada sombra, seu perfil.
E tudo isto converge
nesta sensação tão simples
de eu ser a casa e de a casa ser eu.
Por isso, nunca dela parto, nem a ela regresso,
apenas mudamos, ambas, de universo.


(imagem: “Quiet Harmony” – Kandinsky - http://www.art.com/)

publicado por DespenteadaMental às 19:39
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De DespenteadaMental a 17 de Setembro de 2004 às 11:02
Foi óptimo, sim, obrigada. Deu para descansar, apanhar um solzinho e ler. Beijo.
De inquieta a 17 de Setembro de 2004 às 06:40
Uebaaaaaaaaaaa
Voltouuuuuuuu.Saudade danada Por...espero que tenha sido otimo
beijo

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds