.posts recentes

. A quem me tem acompanhado...

. A “Praça da Canção”

. “Cântico azul-marinho e v...

. Espiral mental

. Dos rios e dos homens

. Haja coragem!

. Ainda falta muito para ac...

. Má sorte

. Vincent da Rocha Dioh - 1...

. Canção de Amigo para “ami...

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

Domingo, 27 de Fevereiro de 2005
De moto próprio
Noite escura_Vincent Dioh.jpg

Fecho-me por dentro e escondo as chaves,
no amontoado de vontades
que um dia cumprirei, mas não agora.
Melhor seria deitar as chaves fora,
tornar mais firme o aprisionamento
longe da luz e de qualquer alento,
que me convide a um regresso, em breve,
sabendo que a prisão ainda é mais leve
do que o peso de enfrentar a liberdade,
de asas cortadas e algemas na vontade.


(imagem: ”Noite escura” - Vincent Dioh)

publicado por DespenteadaMental às 22:04
link do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De DespenteadaMental a 5 de Março de 2005 às 00:14
Pedro, É isso mesmo! Quando alguém ousa 'cortar as asas' ou 'algemar a vontade' a outrém, então que a vítima tenha a coragem de refugiar-se na sua própria 'prisão' e, assim, quebrar o impacto da ousadia da(o) carcereira(o).
Abraço.
De pedro a 4 de Março de 2005 às 00:36
grande poema..ser livre ou não ser nem sempre é opcão,não podemos escolher -"ser livre" mas podemos escolher estar presos. ninguém é exactamente aquilo que desejaria ser. À medida que o "sou" e o "podia ser" se afastam e ganham distancia; quando sabemos que a corrida não pode ser ganha, este poema define a opção que resta.
De DespenteadaMental a 1 de Março de 2005 às 01:06
'casepagam', é bom saber que o que escrevo causa reacção. Independentemente de esta ser boa ou má, pelo menos, posso deduzir que as palavras têm 'vida'.
Abraço.
De DespenteadaMental a 1 de Março de 2005 às 00:59
'náufrago', Imagino que sim, que seja uma situação em que quem a vive se sinta "entre a espada e a parede". Mas não falava de mim. De qualquer modo, obrigada.
Abraço.
De DespenteadaMental a 1 de Março de 2005 às 00:56
Moriana, Realmente, a reacção mais imediata costuma ser a da 'clausura', mas, como a vida continua do lado de fora, feita a assimilação do que se passou, o melhor é respirar fundo e seguir em frente. Vamos lá ;)
Beijo.
De DespenteadaMental a 1 de Março de 2005 às 00:52
'mfc', Tens razão, mas... como pode ser livre quem se sente "de asas cortadas e algemas na vontade"?... Convém, no entanto, dizer que não falava de mim, mas de situações que conheço e que tento entender.
Abraço.
De DespenteadaMental a 1 de Março de 2005 às 00:46
Obrigada, Sarita.
Abraço.
De DespenteadaMental a 1 de Março de 2005 às 00:45
António Viriato, Obrigada, pelo incentivo, mas a verdade é que me sinto mais à vontade na sátira e, além disso, o PSL é um bom fornecedor de motes.
Abraço.
De DespenteadaMental a 1 de Março de 2005 às 00:41
Mónica, agradeço a visita e as palavras.
Abraço.
De casepagam a 28 de Fevereiro de 2005 às 19:20
Simplesmente divinos, sublimes estes poemas. Exaltam-me a alma...

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds