.posts recentes

. A quem me tem acompanhado...

. A “Praça da Canção”

. “Cântico azul-marinho e v...

. Espiral mental

. Dos rios e dos homens

. Haja coragem!

. Ainda falta muito para ac...

. Má sorte

. Vincent da Rocha Dioh - 1...

. Canção de Amigo para “ami...

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

Sábado, 7 de Agosto de 2004
Espanto
naturaleza muerta resucitando_Remedios Varo.jpg


Gosto de tudo o que me causa espanto.
É como ver nascer uma outra realidade
ou ver morrer o que, até aí, era verdade.
Se umas vezes dói, outras nem tanto,
porque o espanto não está na ocorrência,
mas no nível da minha consciência,
que, confrontada com o que desconhecia,
cede ou resiste, mas regista a mais-valia.
Afinal, viver é isto mesmo – sentir
com o corpo e com a alma e assumir
as certezas abaladas pelo espanto,
que ora causa alegria ou dor, encanto ou desencanto,
até ao dia em que nada me espantar
e, só por distracção, eu ainda cá andar.



(imagem:“Naturaleza muerta resucitando”-Remedios Varo-http://www.remediosvaro.biz)
publicado por DespenteadaMental às 21:44
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds