.posts recentes

. A quem me tem acompanhado...

. A “Praça da Canção”

. “Cântico azul-marinho e v...

. Espiral mental

. Dos rios e dos homens

. Haja coragem!

. Ainda falta muito para ac...

. Má sorte

. Vincent da Rocha Dioh - 1...

. Canção de Amigo para “ami...

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

Quarta-feira, 5 de Outubro de 2005
Ir além dos sentidos
The sense of sight_Annie Louisa Swynnerton.jpg

Na orla do deserto ou da cratera
cegar-me-á a luz ou a escuridão.
Que eu possa ir além da parca esfera
em que me prende o limite da visão
e interprete os sinais da longa espera
da semente sequiosa ou do vulcão.



(imagem: “The sense of sight” - Annie Louisa Swynnerton -
Walker Art Gallery)

publicado por DespenteadaMental às 20:17
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De DespenteadaMental a 7 de Outubro de 2005 às 10:14
Ordisi, O batráquio é cheio de manias, o que nos obriga a ter imensa paciência. Por vezes, nem esta sendo infinda... Quanto ao poema, não sei dizer o quê ou quanto, mas percepciono que há mais, muito mais, para lá do que vejo. E é isso que anima. Beijo.
De ordisi raluz a 6 de Outubro de 2005 às 22:49
Querida Despenteada, não conseguia entrar nesta caixa de comentário e gravar. Vamos ver se desta vez vai. Já havia aqui dito que dimensões mais altas, escondidas, nos aguardam. Mas poetas são sensitivos e capazes de vislumbrá-las de auscultá-las e delas extrairem harmonia desde já. Beleza de poema. Beijão.

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds