.posts recentes

. A quem me tem acompanhado...

. A “Praça da Canção”

. “Cântico azul-marinho e v...

. Espiral mental

. Dos rios e dos homens

. Haja coragem!

. Ainda falta muito para ac...

. Má sorte

. Vincent da Rocha Dioh - 1...

. Canção de Amigo para “ami...

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

Sábado, 29 de Maio de 2004
Mulher (fotografia e negativo)
Fotografia e negativo.jpg</p>


Cantam-te o corpo, cantam-te os amores,

cantam-te as noites e as madrugadas...

(pelo silêncio dos teus dissabores,

mostra um sorriso... são pequenos nadas!...)


A tua vida inspira o poeta,

mas os seus versos só falam de amor...

(deixa que a rima saia doce, quieta...

para quê, agora, falar-se de dor?...)


Todos te pedem ternura e alento,

e, nas más horas, a tua presença...

(esquece que pr’a ti nunca têm tempo,

não desiludas quem te julga imensa!...)


... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...


Se já te cansa este faz-de-conta

- prisão em verso, lírica de afronta -,

que te reduz ao que convém que sejas,

diz aos poetas do teu conformismo

que hoje queres versos, mesmo sem lirismo,

em que MULHER rime com o que desejas.

publicado por DespenteadaMental às 21:09
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds