.posts recentes

. A quem me tem acompanhado...

. A “Praça da Canção”

. “Cântico azul-marinho e v...

. Espiral mental

. Dos rios e dos homens

. Haja coragem!

. Ainda falta muito para ac...

. Má sorte

. Vincent da Rocha Dioh - 1...

. Canção de Amigo para “ami...

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

Terça-feira, 16 de Novembro de 2004
O vaivém das ideias
The broken bridge_Salvador Dali_Art com.jpg


Tenho, por vezes, ideias
que mais me parecem teias,
entre um facto e outro facto.
Ficam balançando ao vento,
enquanto o meu pensamento
não encontra o plano exacto.</p>

Vem um sim, vem um talvez,
mais uns quês e uns porquês
que me fazem vacilar,
até que a ideia precária
se faz ponte imaginária
que decido atravessar.

Volto a sentir-me criança
que, pé-ante-pé, avança
e ora tropeça, ora cai.
- ora alcanço o fundamento
e firmo o meu pensamento,
ora a ideia se vai.



(imagem: “The broken bridge” - Salvador Dali - www.art.com)

publicado por DespenteadaMental às 23:30
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De DespenteadaMental a 17 de Novembro de 2004 às 13:22
Olá, Carriço. Concordo com o que disse sobre a dificuldade de encontrar, em palavras, paralelismo com as pinturas de Dali. Normalmente, olho e surpreendo-me, mas fico sem saber expressar o como e o quanto. Muitas vezes, também, cada 'post' nasce de uma imagem que vi e me sugeriu uma ideia. Com as imagens das pinturas de Dali acontece sempre o contrário - já tenho o poemita e vou em busca de algo que o complemente. Quando 'encontro' o Dali, sinto que as minhas palavras, já escritas, ganham expressão, ganham força. A minha plataforma de 'entendimento' com ele situa-se no critério de pesquisa de imagens - procurei 'broken' e encontrei o Dali... e achei que era o que procurava. Só por isso é que foi fácil a conjugação - foi ele que veio juntar-se às minhas palavras. Sorrindo, deixo ficar um abraço.
De DespenteadaMental a 17 de Novembro de 2004 às 12:51
Viva, Quim!!! Fiquei esclarecida e mais tranquila. É verdade que o que escrevemos, de algum modo, residiu ou reside em nós. O 'local' que ocupou ou ocupa é que acaba por dar-lhe o estatuto de pura criação ou de vivência relatada.
Espero que o que houve de vivência, não volte a ocorrer, mas, se as circunstâncias voltarem a reunir-se, desejo que encontres na escrita um bom espanta-mágoas e, então, se transforme em pura criação literária. Um grande abraço.
De Carri a 17 de Novembro de 2004 às 10:58
Belas palavras... e com uma imagem muito bem escolhida. Não é fácil conjugar algo com as pinturas de Dali, mas aqui resultou muito bem!

Saudações
De quim a 17 de Novembro de 2004 às 10:27
...quase tudo o que brotamos de nós para o exterior é um pouco um grito do que nos vai cá dentro... não significa que seja assim, literal, ou que o seja actual... talvez tenha sido e nada me diz que não possa voltar a ser... mas, quase sempre é um exercício de escrita... obrigado e um carinho especial pelo teu carinho... :) *

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds