.posts recentes

. A quem me tem acompanhado...

. A “Praça da Canção”

. “Cântico azul-marinho e v...

. Espiral mental

. Dos rios e dos homens

. Haja coragem!

. Ainda falta muito para ac...

. Má sorte

. Vincent da Rocha Dioh - 1...

. Canção de Amigo para “ami...

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2005
“Parece a família Piranga!”...
Family of saltimbanques_Pablo Picasso_prints4all com.jpg

... diria a minha mãe, se ainda fosse viva e assistisse às “artes” com que este pseudo-governo nos vem distraindo, cada vez mais.

“A Família Piranga”, lembro-me, é o título de um livro que havia lá em casa e que, num empréstimo, saiu e não voltou mais. Nunca o li, porque a saída foi muito anterior ao meu interesse por "livros sem bonecos", mas, sempre que lhe era feita referência, era acompanhado de um outro – “Lisboa Galante” -, que sei ser de Fialho de Almeida, pelo que, lembrando-me das situações ou atitudes, cheias de tiques e truques, com que a minha mãe dividia o título literário e do estilo verrinoso deste escritor, sou levada a pensar que também será dele. Será?...
Já agora, se alguém souber, agradeço a informação.

Também não sei se a interpretação que a minha mãe fez da leitura foi a mais ajustada, mas tenho a certeza de que seria o desabafo dela, nesta altura – “Parece a família Piranga!”

Custa a crer que tenhamos chegado a isto. Quando nem um companheiro de governo respeita, imagino o respeito que os cidadãos eleitores lhe merecerão!...

Se os partidos exigissem um perfil com algumas qualidades de carácter, antes de distribuírem os cargos, nada disto acontecia.
Assim, a culpa não é só do ministro-mergulhador, mas de quem lhe distribuiu o “equipamento”.

A minha mãe, lá onde está, que me desculpe, mas, fazendo um paralelismo entre as situações que ela “catalogava” e o que vejo, hoje, direi: São muito piores do que a família piranga!...


(imagem: “Family of saltimbanques” - Pablo Picasso - www.prints4all.com)

publicado por DespenteadaMental às 17:16
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De DespenteadaMental a 13 de Janeiro de 2005 às 19:04
'Pilantra', obrigada. '123de4' também vai tentar achar informação.
De DespenteadaMental a 13 de Janeiro de 2005 às 19:03
'123de4', o folhetim não acaba. No fim disto tudo, ainda vamos pagar mais de despesas telefónicas (para que cada visado viesse, publicamente, declarar a "verdade" e só a "verdade") do que pagaremos pela "viagem de Estado a que isto chegou".
Quanto à "Piranga", se conseguir qualquer informação, agradeço.
De DespenteadaMental a 13 de Janeiro de 2005 às 18:53
Luís, o rapazola até pode ter aquele ar manhoso que sempre lhe achei e acho, mas ser assim só por fora. O pior é que não dá mostras de, mentalmente, variar muito. Até pode ter muitas capacidades, mas de nada servem, porque as submete todas à mais forte - a capacidade de saltar para o 'n' de cada nova ideia, sem acabar o 'r' da ideia anterior. É um solta-e-salta-ideias.
De Pilantra a 13 de Janeiro de 2005 às 15:10
A «Lisboa Galante» é do Fialho. A «Família Piranga» não consta no registo do Fialho. Abraço.
De 123de4 a 13 de Janeiro de 2005 às 09:55
Olá! No meio disto tudo há uma mensagem secreta..Imagina se não fosse, tinha sido anunciada em todos os jornais e tv.O Barreto tem de entender..Quanto à Piranga, reconheço esse nome, vou tentar saber e depois conto-te!
De Lu a 13 de Janeiro de 2005 às 01:50
A familia piranga (que confesso não conhecia) tem exactamente a dimensão desta catástrofe. Nunca gostei de PSL, não aprecio o estilo de galã de vão de escada, de rapazola fora do tempo, de homem com capacidades, com certeza, mas nunca de liderança MUITO MENOS DE GOVERNAÇÃO. Mas desejava que nada disto tivesse acontecido, desejava que o desvario, o descalabro, a loucura não tomasse o governo. desejava enfim que a estimável familia piranga se mantivesse quietinha no seu canto e não tivesse sido tomada pelo desejo de chegar à cidade, abrir a marmita com estrondo, convocando todos os seus elementos para a refeição, exibindo o sorriso alarve de quem sabe ter pouco tempo para desfrutar a lauta refeição!

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds